Jump in

3 de nov de 2011

■ E já se passaram quase 10 anos



Foi  em meados de 2004, quando o gênero JRPG ainda estava em alta e não precisávamos nos chatear com a total falta de criatividade que tomou conta dos jogos eletrônicos atuais, que idealizei um projeto até então inviável: o lançamento de um revista totalmente digital, focada em RPG oriental.

Aliás, escrevendo esse primeiro parágrafo me dei conta de como o mercado era diferente há sete anos atrás. Na época, como já foi dito, tínhamos o privilégio de ter uma boa safra de JRPGs, situação essa que acabou me encorajando a seguir adiante com o projeto, que era ousado, mas no fundo eu sabia que a satisfação que estava por vir valeria todas as dificuldades que enfrentaria, e acreditem, foram muitas.

Todo esse processo motivacional surgiu devido à fase que estava vivendo naquele momento, período esse que passava boa parte do meu dia no fórum UOL jogos – Playstation. 

Ao ver a situação do fórum em questão hoje em dia, tenho certeza de que se vocês tinham um pouco de admiração por essa pessoa que vos escreve, ela acaba de desaparecer. Pois bem, vale lembrar que naquele tempo o lugar era muito bem  freqüentado e todos os usuários tinham  um só objetivo: Conseguir um tópico entre os recomendados (yeah!). E foi exatamente nesse período que conheci as pessoas certas para dar vida ao projeto da revista.

O primeiro da lista foi o usuário Masamune (Edward Erick ou Saraiva para os íntimos =P), até então uma das figuras mais respeitadas e seletivas da pasta Playstation. Com o Masa as conversas sempre acabavam em Final Fantasy IX, jogo esse que nos fez discutir algumas vezes sobre o posto do ”melhor Final Fantasy ever”.  Anyway,  foi com o meu querido parceiro Saraiva que a revista ganhou corpo e qualidade, e com toda certeza ele foi a pessoa mais importante da lendária equipe da RPG.

Depois dele surgiu o alucinado do Felipe (que inclusive é primo do masa o/), que até então era viciado em jogos da Atlus de RPG/estratégia - que diga se de passagem, eram quase impossíveis de serem completados na sua totalidade, mas o tio conseguia a base de substâncias até hoje desconhecidas XD.

A partir desse momento outros foram chegando, entre ele cito o inesquecível Cecil - um dos adoradores fanáticos de Chrono Cross;  mestre Dark Knight – Sem dúvidas um dos caras mais engraçados de todos os tempos;   Cloud e Jordan – que ajudavam na produção e layout da revista - e tantos outros que fizeram participações especiais em momentos cruciais.

Com o time montado começamos a escrever os textos, que facilmente poderiam ser chamados de livros, já que não tínhamos problemas com espaço e outros inconvenientes que o pessoal que trabalha com revistas impressas enfrentam. A propósito, nosso maior problema era com os usuários de internet discada que quase nunca conseguiam acessar o conteúdo da revista; motivados pela total falta de amor ao próximo dos nossos redatores que recheavam as matérias com uma quantidade alienígena de JPGE e davam um belo foda se para os coitados que usavam o discador gratuito do IG...

Pois foi com muita criatividade e trabalho duro (ui) que começamos a conquistar o pessoal do fórum UOL que, sedentos, aguardavam a cada próxima edição, até então programada para ser mensal, o que de fato nunca ocorreu...

Produzir a RPG era uma tarefa árdua. Além da quantidade enorme de textos que tínhamos que produzir, dos problemas de pauta e disposição dos redatores, o universo também conspirava contra nós. Das 3 edições que conseguimos finalizar, duas delas saíram com MESES de atraso, tudo graça ao que o pessoal da equipe batizou de “A maldição dos pcs”. Sim, era inacreditável a quantidade de computadores que queimavam ao menor sinal de período de produção da revista (me incluam aí tb XD). Mas tirando todos esses contratempos, essa fase foi muito divertida, com ótimas reuniões de pauta, onde tudo era discutido, menos a pauta da revista.

Teve uma vez que a zica imperou de tal forma que, por falta de MSN (sim, é isso mesmo, não conseguia mais me logar no messenger), tivemos que fazer a nossa reunião de pauta  em um chat da UOL(LOL). O mais incrível dessa história é que durante a reunião, uma ‘bela’ moça (da qual não recordarei o nome) simplesmente invadiu a nossa sala e começou a flertar com os nossos frágeis redatores, até então virgens e isentos de mácula. Resultado da noite foi que tivemos que fazer outra reunião – hauahauahuahua.  Essa é uma das muitas histórias que nunca mais vou esquecer e que tive o privilégio de viver ao lado desse pessoal pirado que conheci na internerd.

Falando agora um pouco da revista. Na terceira edição tivemos o prazer de fazer uma matéria épica: entrevistamos nada menos do que o editor chefe da antiga SDP (Super Dicas Playstation), o BIG BOSS da cena gamer no Brasil, o espetacular Fabio Santana. Sem palavras para esse cidadão. O cara simplesmente é uma lenda no mercado editorial de games em terras tupiniquins. Pra quem não conhece o trabalho do Fabio, basta dizer que foi ele o principal responsável pelo sucesso da extinta revista GAMERS, que aliás, foi a minha maior inspiração ao fazer a revista RPG. Por isso, não se assustem ao ver o plágio descarada do layout da GAMERS na revista, foi proposital  \o/.

Após essa entrevista, o Fabio passou a ser um dos nossos maiores fãs, sempre deixando um comentário positivo e nos encorajando a cada edição lançada. Fora todo esse apoio, o Fabão também fez um convite para que o Masa e eu escrevêssemos uma matéria sobre Final Fantasy VII para Super Dicas Playstation, nada menos do que cinco páginas de conteúdo! Preciso falar mais alguma coisa sobre esse ser humano?

Então caros leitores do Games e Prosa, a revista RPG trouxe muitas coisas positivas para a minha vida e para a vida das pessoas que participaram do projeto. E hoje é com saudades que escrevo essa matéria para relembrar um pouco dessa época gostosa que vivemos, onde conseguimos fazer o nosso sonho virar realidade, mesmo que tenha sido por tão pouco tempo.

Para quem quiser conferir as nossas 3 edições, estou disponibilizando um link dos PDFS. Além disso, deixo com vocês um editorial feito pelo épico Masamune (com avatar do Vincent \o/) e também o link do blog do Fabio, onde ele comenta a entrevista que nos deu em 2005.

Aos antigos redatores da revista, gostaria de dizer que sinto muita saudades de toda aquela bagunça que fazíamos, e agradecer a cada um de vocês pelo empenho e dedicação para com o projeto, que a princípio era meu, mas depois passou a ser de cada um de nós.

Aos leitores, tá aí um pouco da minha história dessa vida louca de gamer. XD

Obrigado negada!

Editorial feito pelo Masa, que comprova a total conspiração do universo contra nós

Ao contrário do que muita gente pensa, não, nós não estávamos de férias, não cancelamos a revista e tão pouco ficamos de bobeira durante este mês de Julho. O fato que explica a ausência da revista no mês passado é o que chamamos de "A maldição nos PCs da Equipe RPG". Sim, pois, quatro dos membros da equipe foram surpreendidos com a "morte"prematura de seus PCs e, assim, impossibilitando o lançamento da edição 3 no mês passado. Agora que estamos com nossos queridos sistemas em ordem (ou quase todos, já que nosso editor, Kefka Extreme, ainda não conseguiu resolver o seu caso) trazemos a vocês, enfim, a Revista RPG edição 3 \o/. Em comemoração a iminente chegada de Radiata Stories, esta edição é totalmente dedicada ao estúdio que o produz, a tri-Ace. Amada por muitos e cujos jogos são considerados cult hoje em dia, a tri-Ace tem como seu "carro chefe" a ótima série Star Ocean, porém, tem o clássico Valkyrie Profile como seu maior feito até hoje, no mundo dos RPGs. E tanto é assim que sua personagem principal, Lenneth Valkyrie, é, reconhecidamente, o símbolo do estúdio e, inclusive, fazendo participações nas demais produções dele. E é por isso que ainda trazemos a vocês uma entrevista com ninguém menos que Fábio Santana. Um dos maiores ícones do mercado editorial de games no país,sendo responsável pela querida revista Gamers e sua mais famosa publicação, a Gamersbook de FFVII. Hoje editor da Revista Super Dicas Playstation e colaborador da EGM Brasil, Fábio bate um papo conosco sobre como é fazer uma revista de games no Brasil, os desafios na publicação da Gamersbook, sua amizade com o polêmico Eric Araki e, claro, sobre RPGs, um dos seus gêneros preferidos. E ainda tem muita coisa que não caberia neste editorial: previews, reviews, cobertura da Square Enix Party, estréia de novas seções, etc... Enfim, aproveitem a edição nº 3 da Revista RPG que, esperamos, volta a ser mensal novamente. Agradecemos aos leitores que nos apoiaram a não desistir mesmo com tanta coisa contrária a nós \o/ Agradecemos também a participação dos usuários Fábio Santana, Doppelganger, Jenova Son e Pepeo por ter nos ajudado a concluir esta edição, mesmo não integrando de forma definitiva à revista. Arigato \o/ PS: Excepcionalmente nesta edição, não teremos as seções"Anime do Mês" e "Personalidade do Mês", mesmo porque a revista ficou grande demais. ^^ Na próxima edição elas voltam. o/


 Link das 3 edições em PDF:
REVISTA RPG 1ª EDIÇÃO
REVISTA RPG 2ª EDIÇÃO
REVISTA RPG 3ª EDIÇÃO

Post do Fabio Santana sobre a entrevista: Gamerlifestyle  

1 comentários:

Po que saudade dessa epoca.
O pessoal ainda se fala?

Postar um comentário

Solta a voz