Jump in

16 de abr de 2012

■ A "Lesma de batalha" e sua eterna luta para alcançar... A paz!

....E muita guerra já passou pelo mundo.
E como procurar a paz? Winston Churchill dizia que: "- Não adianta dizer que estamos fazendo o melhor que podemos. Temos que conseguir o que quer que seja necessário"Então, se essa é a lógica imposta, inúmeras batalhas podem ser feitas apenas para se alcançar o mesmo fim, certo?

Bom, hoje vamos falar de uma saga que, apesar da guerra, ela almeja... A paz:

Retroreview: Metal Slug

Em uma época onde os jogos de luta estavam crescendo estratosféricamente, alguns jogos baseados em outros estilos mais clássicos tentavam (em vão), criar uma franquia duradoura. Foi o caso de semi clássicos como GunForce e In The Hunt, ambos criados pela Irem, produtora da conhecida série espacial R-Type (que já tem um review engatilhado ^^) e outros títulos que não tiveram tanta divulgação.

Mas como criar (ou ressuscitar) uma série do naipe de Ikari Warriors, por exemplo, sendo que os personagens dessa série (não estou falando de Paul e Vince! Eles ficaram perdidos no espaço em Ikari II, onde aleatoriamente convocaram Ralf e Clark) estão lutando em um outro estilo de guerra? Olhando na agenda telefônica, na letra "M" de mercenários, eis que achamos dois idiotas agentes que, com certeza, brilhariam em uma série divertida e nada light: Seus nomes? Marco Rossi (Marchirus Dennis Rossi - Idaho, Texas) e Tarma Roving (Tarmicle Roving III - Hokkaido, Japão) !
Os dois integram o esquadrão Falcão Peregrino (Peregrine Falcon Squad) que lutam contra o exército do General Donald Morden, que deseja (uau! Que coisa diferente....) fazer um "coup d'état" e dominar o mundo como se deve (traduzindo: controle TOTAL e ABSOLUTO do mundo como um déspota)


E o jogo?
Falando mais um pouco sobre a parte técnica do jogo e esquecendo um pouco da histórinha pra boi dormir criada pra servir como um roteiro meio que pé de chulé (ah, tenham dó! DESDE QUANDO algum jogo de ação/aventura/guerra nesse estilo tem um roteiro bonitinho e convincente? Tendo balas, uma trilha sonora legal, boa jogabilidade e personagens carismáticos, eles vão longe....), vemos que a empresa que criou os 3 primeiros jogos (NAZCA Team), tiveram um bom portfólio, passando por títulos como: GunForce 1 e 2, In The Hunt (citados acima) e Undercover Cops. Todos eles tem um estilo gráfico similar. Sobre o criador da trilha sonora, Takushi Hiyamuta (Hiya!), foi ele o responsável pelas composições de Undercover Cops (que ficou muito bem adequada ao jogo).

Infelizmente, como nem tudo são flores...

Curiosidade
Depois do "falecimento" da SNK e com a Playmore assumindo os direitos intelectuais da série, Trevor e Nadia, dois carismáticos personagens que apareceram em outros episódios da franquia, foram enterrados para todo o sempre, isso porque os dois foram uma criação de um grupo coreano que não cedeu os direitos para a "nova" empresa.


Multi uso
O que interessa é que, a série Metal Slug tem versões para quase todos os videogames, a partir dos 32 bits, como o Sega Saturn e Sony PSX, passando por celulares, videogames portáteis e o sistema operacional Windows (não dá pra citar os computadores de uma forma genérica graças aos outros sistemas operacionais existentes hoje). Claro que não podemos esquecer os emuladores:



O resumo da ópera
 Metal Slug é uma grande franquia que demonstra uma alta capacidade de divertir utilizando o bom estilo oldschool dos jogos de ação/avetura/guerra que foram lançados a partir da década de 80. Uma excelente continuação de Ikari Warriors.

4 comentários:

Por mais que a matéria tenha ficado um pouco "curta" se levarmos em conta a grandiosidade de MS, ainda assim é uma boa matéria.
Vendo o vídeo, lembrei de quando meu saturn era vivo e eu jogava MS nele...
Depois da terceira versão, a série não conseguiu se renovar e acabou perdendo o seu brilho, versão após versão. Entretanto, os primeiros jogos são clássicos eternos e que marcaram uma geração.

Obrigado! Sei que fui pouco detalhista em relação a outras matérias, mas acredite: se fosse postar TUDO com TODOS os detalhes, tanto de produção, quanto de roteiro (mesmo que fosse dos 3 primeiros jogos, o que eu também acho que depois que a Playmore assumiu, deu uma queda de qualidade...), você teria uma matéria cansatíva, contendo inúmeros detalhes técnicos.

Mas acredite, é fascinante o mundo da guerra, vista pelos olhos dos criadores de jogos. O extremo detalhismo criado de uma forma que não abuse de violência, e sempre utilizando uma linha de humor que ajuda a quebrar tal paradigma, deixa o estilo completamente agradável pra se brincar. Tanto que estou terminando o Metal Slug no GBA, aqui em casa.

Bom, apareça sempre com suas dúvidas e seus pedidos que, com certeza, lhe atenderemos (e não só a você, mas a todos que gostam de nosso serviço!)

Metal Slug é um clássico!!!!!!!!!!!!!!!!! Só isso :D

Daqui a pouco terei que criar o marcador "guerra". kkkkkkkkkk
O que está acontecendo com a nossa equipe? (chocado)

E jarderson, muito obrigado por acompanhar o blog. Estamos nos esforçando para oferecer um conteúdo de qualidade.

E VIVA METAL SLUG!

Postar um comentário

Solta a voz