Jump in

8 de nov de 2011

■ Retroreview - Disgaea: Hours of Darkness (PS2)


Você já ouviu falar na Nippon Ichi? Se a resposta é sim, agora pergunte-se se você já tinha conhecimento da existência desta softhouse japonesa antes de agosto de 2003. Possivelmente sua resposta será um sonoro "NÃO!". Se hoje o nome Nippon Ichi é facilmente reconhecido pelos jogadores de RPG ocidentais isto certamente se deve ao lançamento de "Disgaea: Hour of Darkness", Um sucesso incontestável de crítica e público.

Prepare-se para ler o review desta obra prima que riu dos clichês tradicionais dos RPGs e chutou bundas em 2003.

Let's go!

Seja mal vindo ao Netherworld!

O Netherworld (Makai se preferir) é um verdadeiro paraíso para os fãs de Tim Burton e seu estilo "dia das bruxas" de ser. Ele é habitado quase que exclusivamente por demônios e está em oposição à Celestia (Mundo dos Anjos). A regra em Disgaea é fugir dos clichês do gênero RPG e logo pelo cenário o jogador já percebe o que esperar. Aqui, zumbis, vampiros, succubus e outras entidades "malígnas" são suas aliadas. Seus inimigos podem ser anjos, humanos e,claro, outros demônios. Superficialmente temos os demônios (controlados por você) como sendo "o mal", os anjos como sendo "o bem" e os humanos como "neutros". Mas será que é isso mesmo?

Um sonho de ser Overlord

O príncipe Laharl dormia profundamente em seu caixão numa das câmaras do castelo quando é acordado (através de meios nada convencionais) por Etna, aparentemente uma jovem succubus, que explica a ele o nível da zona que se encontra o lugar. Seu pai, o Overlord Krichevskoy, falecera há dois anos atrás e muitos demônios do Netherworld passaram a cobiçar o título por ele deixado e que, por direito, pertence à Laharl. Isso mesmo. Laharl permaneceu dormindo por dois anos e a situação política do Netherworld permanecia em suspenso até o despertar do príncipe, que agora precisa reunir poder para defender seu título diante dos demônios que anseiam por ele. Mas enfrentar apenas os demônios não será o suficiente, Celestia e até mesmo o mundo dos humanos estão de olho no Netherworld.

Esta é apenas uma descrição da cena que dá início a um dos mais criativos e hilários enredos jamais vistos em um RPG. Por si só, o enredo de Disgaea já proporciona uma experiência diferente (bizarra diriam alguns) ao jogador. Os diálogos foram genialmente escritos e são capazes de fazer qualquer um se cagar de rir ou se comover nos momentos mais "maduros" da aventura. Enfim, temos um enredo cativante, original e maravilhosamente bem-humorado. algo bem raro nos dias de hoje.


2D e 3D juntos? Sim, deu certo!

É comum olhar para Disgaea e a primeira vista confundi-lo com um jogo de PSOne em decorrência do grafismo simples. Simples mais charmoso! Os personagens são em 2D e muito bem animados. Já os cenários apresentam gráficos 3D simples, porém bastante funcionais. A má impressão com relação aos gráficos é só inicial pois logo se percebe que o visual do game em geral é muito coeso e uniforme. Depois de um tempo jogando você nem sequer cogitará a necessidade de uma melhora gráfica. As magias e golpes especiais exagerados e efeitos de luz vistosos chegam impressionar dada a proposta escrachada do jogo. Caso você se decepcione a primeira vista com o pacote visual que o game oferece, aí vai um conselho: prossiga jogando! Este é um "problema" menor do que você imagina.

Hey. Alguém colocou rock indie no meu RPG?

Colocaram sim(\o/). E de ótima qualidade certamente. As músicas de cada estágio conseguem acompanhar com precisão os fatos narrados na história. Batalhas mais dramáticas ou que precedem/sucedem eventos tristes possuem melodias mais lentas e calmas. Batalhas decisivas contra chefes ganham batidas mais empolgantes e assim prossegue até os créditos finais. Ainda há um pequeno tema cantado: "Akai Tsuki" (Lua Rubra em japonês), que é o tema dos hilários prinnies. Pena que no Item World seja tocada sempre a mesma música durante quase todos os estágios. Mas no que diz respeito ao som, o destaque em Disgaea é a sua dublagem. Boa no idioma inglês e simplesmente perfeita no idioma japonês.Esta é uma característica marcante dos games Nippon Ichi que bem que poderia servir de exemplo para outros RPGs: a possibilidade de escolha entre a dublagem em inglês e a original em japonês. Cada personagem ganhou uma voz tão condizente com sua personalidade que torna-se impossível imaginá-lo com outra voz. Tente. Não há como imaginar ouvir a gargalhada malígna de Laharl com outro dublador.

O nome do responsável pela trilha de Disgaea é o talentoso Tenpei Sato. Procure no youtube sobre o manolo para conhecerem um pouco mais do seu espetacular trabalho.

Sendo um Overlord

Poucos RPGs táticos (ou possivelmente nenhum) possuem um gameplay tão rico e complexo quanto Disgaea. Ao mesmo tempo que utiliza sistemas clássicos inerentes ao gênero (número limitado de "casas" a se mover, classes, etc) ele o incrementa com uma enxurrada de conteúdo e complexidade. Mas você só os dominará depois de um pouco de trabalho árduo e muita atenção nos tutoriais do game.

Eis alguns elementos vitais às batalhas do game:

Geo-Panels: são triângulos espalhados pelos estágios e capazes de causar um grande estrago ao seu personagem caso você não os use a seu favor. Cada um deles é responsável por causar um efeito sobre uma determinada área.
Exemplo: Um geo-panel amarelo causa o efeito "Damage 20%". Isso quer dizer que se o seu personagem permanecer numa "casa" em amarelo (aperte select para ver a cor) ele perderá 20% do seu HP por turno. Existem muitos tipos de efeitos, sendo alguns maléficos como este citado ou benéficos como "EXP +50%", por exemplo. Caso você destrua o geo-panel desencadeará um combo em toda a área correspondente a sua cor, podendo atingir inimigos e aliados, portanto cuidado! Este recurso é muito útil para aumentar a barra de bônus que concede itens no fim de cada estágio.

Leaft: Este recurso é o preferido de todos e serve para que um determinado personagem alcance uma distância maior e que não conseguiria normalmente com apenas um turno. Para isso, simplesmente use um outro personagem para arremessá-lo para locais mais distantes no cenário. Algumas áreas dos estágios só podem ser acessadas com este recurso e você pode até mesmo arremessar monstros ou fazer uma pilha imensa de personagens para atingir locais ainda mais distantes.

Combos: Outro recurso vital. Ao colocar personagens nos lados ou às costas do personagem que vai atacar, existirá uma probabilidade (a chance de êxito aparecerá na tela)de resultar num combo que pode envolver de dois a quatro personagens simultaneamente. Os personagens que ajudam no combo também ganham experiência pelo feito e sem a necessidade de usar o seu turno, o que de certa forma torna esta uma ótima opção para a evolução dos seus personagens. Em Disgaea, o personagem que despende Mana para a criação de um novo personagem torna-se o mestre deste. Realizar combos entre mestres e discípulos aumentam a probabilidade de êxito da ação. Ter o mesmo tipo de arma que seu companheiro também contribuem para o sucesso da investida.


Um jogo semi-infinito

Você joga um RPG e o termina. Como você goste muito dele, acaba sendo tentado a jogá-lo novamente para conseguir todos os itens, níveis e side-quests. Mesmo assim logo você termina todos os side-quests, obtém todos os itens e alcança o famoso Level 99 (limite máximo na imensa maioria dos RPGs). E se não houvessem tais limites? É isso que Disgaea proporciona. Intermináveis side-quests em cada canto do jogo. Armas e itens que evoluem tornando-os únicos. Lv 99? Ridículo para Disgaea. Aqui o limite é o Lv 10000!!! E alcançá-lo é uma agradável tarefa que pode lhe tomar meses ou mesmo anos. E, acredite, se quiser resolver os side-quests você precisará alcançar níveis altíssimos.
Claro, você ainda pode simplesmente terminar o game sem resolver nenhum side-quest e sem precisar de itens e níveis exorbitantes, mas você certamente será tentado a fazê-lo por conta dos 8 finais diferentes e a mais do que bem vinda opção "New Game +". Os side-quests e opções extras em Disgaea dariam uma matéria própria pela sua complexidade, então vamos abordar somente os dois principais: O Dark Congress e o Item World.

Dark Congress, Provando que política é coisa das trevas (como se você já não soubesse)

Políticos são todos iguais em qualquer parte do mundo ou até mesmo em outros mundos, e Disgaea está aqui para provar essa máxima. Um dos maiores diferenciais de Disgaea é a existência do Dark Congress, algo como um Congresso Nacional das trevas. E se na vida real os políticos já são demasiadamente corruptos, imaginem no Netherworld. Mesmo o poder de um overlord tem limites. Sendo assim, para que alguns objetivos sejam alcançados, é necessário pedir ao congresso negro do Netherworld, que por sinal nem sempre (ou quase nunca) vai aprovar algo de graça. Cabe a você usar sua influência política (um status que depende do seu poder em batalha) para realizar certos feitos. E se isso não bastar...SUBORNE, claro. São políticos, ora.
Procure saber que itens são de interesse de seus opositores e os ofereça em troca de apoio. E se mesmo assim não for suficiente, ai só resta um jeito...descer o cacete nos políticos do congresso (seria um sonho se possível na vida real, não?). Assim você disponibilizará diversas vantagens, tais como itens mais poderosos, personagens com níveis mais alto, áreas secretas (muito importante) e outras coisinhas mais. Por isso não deixe de usar este recurso para se dar bem no game.

Item World. O mundo dentro de seus itens

Temos em Disgaea uma variedade insana de itens e todos eles têm a capacidade de evoluir seus status. Isso é feito através do Item World, o mundo que existe dentro de CADA item do jogo. O funcionamento é simples: Escolha qual item você deseja evoluir e entre em seu mundo (Você vai entender jogando). Nele, você passará por dez batalhas seguidas e de dificuldade crescente sendo que cada estágio vencido representa um level que sua arma ganhará. Vença os 10 estágios e a sua arma evoluirá para o nível 10. Se quiser mais níveis para o mesmo item basta repetir o processo, mas é importante que se diga que as batalhas serão ainda mais difíceis, chegando a níveis quase impossíveis de vencer. Os estágios são gerados aleatoriamente, ou seja, são praticamente infinitos. Você nunca passará por um estágio igual ao outro no item world. Sendo assim, é aqui que você encontrará as mais variadas e desafiadoras batalhas, e itens raros são premiações constantes para quem perseverar.


Um exército de demônios...a SEU favor

Monstruosa. Esta é a palavra que define a quantidade de classes existentes em Disgaea.

Existem dois tipos de unidades no jogo:

Humanóides: qualquer classe com forma mais ou menos humana. São os únicos que podem usar todos os tipos de armas e aprender suas habilidades específicas. Só eles podem usar o comando "Leaft"

Monstros: qualquer raça de monstro inimigo do jogo pode ser utilizada como aliado. Monstros usam um tipo de arma específico e possuem técnicas exclusivas inerentes a cada raça, que os humanóides não possuem. Não podem usar o comando "Leaft".

Até ai temos um número vasto de classes nestes dois grupos. Agora pegue tudo isso e multiplique por seis. Sim, pois cada classe básica pode evoluir em mais cinco classes superiores. Então se você tem uma simples "Green Mage", poderá evoluí-la até se tornar uma"Galaxy Mage". Um "Warrior" pode chegar à classe "Cosmic Hero". Um reles "Brawler" pode ganhar o poder de um "Eternal First", e assim por diante. Vale lembrar que NÃO é preciso passar por cada uma das cinco classes para chegar à sexta. Isso dependerá apenas da quantidade de Mana que ele possui (e que é ganha exterminando inimigos). Existem ainda um grande número de classes secretas.

Ponto negativo: Infelizmente não há grandes diferenças entre a classe básica e suas evoluções (com exceção da última, que geralmente é bem mais poderosa). As vantagens só aparecem depois que você equipa alguma arma. Desta forma a classe ganhará as habilidades específicas dela, sendo que algumas classes se dão melhor com certos tipos de armas. Dê um Firsts a um Brawler e um Staffs a uma Red Mage e veja o resultado. Você tem liberdade pra dar qualquer arma pra qualquer personagem mas é conveniente seguir esta lógica. Só assim poderá tirar o máximo de cada classe.

Para um jogo bizarro...personagens bizarros


Laharl
Classe: Demon Prince
Possivelmente um dos mais sarcásticos personagens de RPG já feitos. Laharl é prepotente, orgulhoso, irritante e mal humorado, mas essas características não o tornam um personagem chato ou sem graça. Tais "qualidades", da maneira como são mostradas no jogo, só colaboram para sua empatia. E sim, apesar da pouca idade ele pretende ser reconhecido como o novo Senhor do Netherworld. Repudia qualquer forma de amor ou amizade, aparentemente por conta de um antigo acontecimento relacionado a sua mãe. Mas aos poucos vai mudando seu ponto de vista com o decorrer da história. Ah, ele também sente uma estranha aversão a...mulheres sensuais (cena imperdível). Sua gargalhada "maligna" e prepotente é um dos pontos altos do jogo. Simplesmente ouça!

Etna
Classe: Vassal
Etna foi a responsável por acordar o príncipe Laharl de seu sono de dois anos e desde então tem sido sua fielvassala, embora quase nunca aja como tal. Sem papas na língua, Etna fala o que quer e não tem o menor receio de expor diante de todos que pretende matar o príncipe e tornar a rainha de Netherworld. Adora sarcasmos (mais ainda do que Laharl) e graças a isso se torna responsável por algumas das cenas mais hilárias do jogo. Apesar de sua personalidade extrovertida, Etna tem um segredo que a faz ficar serena e triste às vezes, mas o motivo é guardado a sete chaves. Juntamente com Laharl, é a personagem mais cativante do jogo. Ah, antes que alguém pergunte/afirme: NÃO! Eles não formam um casal. Este clichê inexiste em Disgaea.

Flonne
Classe: Angel
Um anjo em treinamento de Celestia enviada por Seraph para assassinar o overlord. Não demora muito para percebermos que ela é a pessoa menos qualificada que existe para o serviço (outra cena imperdível). Flonne é ridiculamente sonsa e avoada. Acredita piamente que existe resquícios de bondade no coração dos demônios de Netherworld e não descansará até provar a Laharl que ele próprio possui sentimentos.

Vyers (Mid-Boss)
De longe a figura mais hilária do game. Vyers sempre tenta aparecer como um grande obstáculo para nosso grupo de anti-heróis, porém sempre é derrotado de forma humilhante... Graças a isso ganhou de Laharl a alcunha de "Mid-Boss" (sub-chefe), justamente por não ter poder suficiente para ser um "boss" do jogo!!! Suas poses estilo Michael Jackson e diálogos pra lá de cômicos são outro grande ponto forte do game.

Hoggmeister
Classe:Rich Demon
Um demônio que enriqueceu ás custas da ausência do ovelord. Em retribuição, nada mais justo do que ter sua fortuna devidamente "confiscada" por Laharl, através da força, como era de se esperar. Isso é roubo? Não exatamente, mas também quem disse que nossos personagens são bonzinhos? Um overlord também precisa de grana, ora.

Maderas
Classe: Demon Sire
Maderas é mais um daqueles que anseiam pelo título de Overlord e, diferente da maioria, montou um plano mais discreto e intricado para atingir sua meta. Mas ainda assim, passando por cima de Laharl, é claro. Está relacionado de alguma forma com Etna, mas ela não fala nada a respeito.

Gordon
Class: Defender
O defensor definitivo do Planeta Terra. O herói das multidões, Capitão Gordon!!! Atual representante de uma antiga linhagem de "Defensores da Terra" e aclamado como herói em todo mundo dos homens, embora suas habilidades não justifiquem tanta adoração (de certa forma lembra o Mr. Satan para quem conhece Dragon Ball). Foi enviado ao Netherworld em missão para salvar a Terra de uma suposta invasão arquitetada por Laharl (nem é preciso dizer que tal plano de invasão não existe). Gordon é outra figura carimbada capaz de arrancar muitos risadas.

Thursday
Classe: Super Robot
Todo defensor do Planeta Terra precisa de um Super Robô ajudante e, claro, não seria diferente com nosso capitão. Thursday é o "faz tudo" do grupo por assim dizer e seria um robô perfeitamente normal não fosse sua disposição para falar ironias e frases totalmente sem sentindo com sua condição robótica. Uma de suas frases mais épica e: "Sempre escutar uma mulher gostosa. Essa é a Lei"...Pois é.

Jennifer
Classe: Sidekick
Ainda mais necessário para um defensor da Terra que um robô ajudante é a presença da coadjuvante sexy que está ali só para aparecer e ajudar de vez em quando. Jennifer cumpre bem este papel mas ela não é só mais um "rostinho bonito" no seu PS2. Por trás do corpo exuberante se esconde uma super dotada (no sentido de inteligência, que fique claro) de absurdo QI. Uma gênio que, inclusive, foi a responsável pela criação de Thursday. Mas você nem se lembrará disso pois possivelmente estará prestando mais atenção aos seios dela do que ao jogo em si.

Kurtis
Classe: Rival
O que mais é necessário possuir para ser um legítimo defensor da Terra? Um rival, é óbvio.Kurtis ansiava pelo título de defensor da Terra mas acabou perdendo-o para Gordon. Possui razoáveis habilidades de combate e uma inteligência bem acima da média. E foi justamente por conta de seu QI que não foi escolhido para a missão. Precisavam de alguém burro e manipulável. Gordon caiu como uma luva para missão.

General Carter
General das forças terrestres e responsável por enviar Gordon em missão ao Netherworld. Aliás, os objetivos desta missão são, no mínimo, duvidosos. Afinal, o Netherworld não tem pretensões de conquistar a Terra como ele afirma. Aí tem coisa...

Overlord Krichevskoy
O pai de Laharl (e antigo overlord) pouco aparece no jogo mas nestas aparições veremos claramente que ele não é um demônio como os outros pois possui uma personalidade demasiadamente culta e ponderada. Diferente de Laharl, mostrava grande apreço aos sentimentos. Amor principalmente. Possivelmente por ter se apaixonado por uma humana(uma bruxa em treinamento). Faleceu dois anos antes.

Vulcanus
Apesar da cara de vilão demôníaco, Vulcanus é o principal anjo a serviço de Seraph. Ele é um "pé no saco" para nossos personagens e toda hora vai tentar se opor a eles, mas geralmente o fará por baixo dos panos pois tais atos não são bem vistos por seu superior. Sempre crítica duramente algumas atitudes de Seraph por não entender os verdadeiros objetivos de seu mestre. Na verdade, nem nós entendemos.

Master Seraph Lamington
O anjo que governa Celestia. Talvez seja a figura mais misteriosa do jogo. Mesmo quando certas situações parecem fugir do controle, ele age como se tudo estivesse acontecendo conforme o previsto, sem nunca se alarmar ou se preocupar. Algumas atitudes suas são, a princípio, totalmente inexplicáveis. Como por exemplo mandar ninguém menos que Flonne para assassinar Krichevskoy, sendo que este já havia morrido há dois anos. Ele não parece ter tanta aversão ao Netherworld, como os demais anjos têm, demonstrando até uma certa simpatia. O que se passa na cabeça dele afinal? Bem, isso você só vai descobrir terminando o game ^^.

Prinnies
Estes simpáticos (e inúteis) pingüins com pernas de pau que infestam o Netherworld já foram seres humanos! Aqueles que cometeram pecados imperdoáveis enquanto vivos vão parar no Netherworld (ou em Celestia) na forma de Prinnie (aposto que você nunca imaginou um destino pós-morte como este). Os Prinnies são pau pra toda obra. Resumindo, eles são escravos no castelo e servem ao Overlord e a outros demônios (Etna possui seu pequeno exército particular de Prinnies). Vale lembrar que os Prinnies podem ser usados em batalha e estão na mesma categoria que os monstros.

Red-Prinnie
Os Prinnies são todos iguais mas este é especial. Além da cor rubra, e da inteligência acima do normal (prinnies em geral são tão burros quanto alguns analistas da gamespot) este possui um tom de voz sereno e bonito. Bem diferente dos grunhidos cheios de gírias dos demais prinnies. O mais intrigante é que este prinnie parece conhecer profundamente Laharl. Aliás, o conhece como ninguém.
Quem será este prinnie afinal e como conhece tão bem o príncipe?

Algumas dicas para quem vai começar a jogar Disgaea

  • Mude para a dublagem original japonesa assim que começar!!!
  • Faça visitas regulares ao Item World.
  • Não recrute monstros logo de cara. Espere avançar mais no jogo e recrute monstros bem mais poderosos.
  • Tenha pelo menos uma Mage no grupo e dê atenção especial a evolução dela.
  • Sempre atente a que elemento o inimigo tem maior vulnerabilidade (fogo, vento ou gelo).
  • Igualmente tome cuidado com as vulnerabilidades dos SEUS personagens.
  • Logo no ínício de uma partida, verifique que geo-panels estão ativos e que efeitos eles provocam.
  • Não tenha medo de usar o recurso "Transmigração". Dá trabalho mas é muito compensador.
  • SEMPRE procure efetuar combos entre os personagens. É o melhor método para evoluir personagens mais fracos.
  • Procure saber de cara que tipo de arma se enquadra melhor à classe de seu personagem e equipe-a.

Enfim, temos um clássico!

Engraçado, não? Um jogo sem o menor hype no pré-lançamento e que muitos não deram a mínima atenção surpreender de uma forma tão positiva.
Disgaea é um verdadeiro clássico da geração Playstation 2 e não há como negar-lhe esse título. Mais
do que um ótimo RPG tático, Disgaea é uma experiência única no gênero. Original, criativo, complexo, divertido, praticamente infinito, enredo e personagens únicos, situações bizarras e mais uma infinidade de qualidades.

Disgaea alavancou a Nippon Ichi e alcançou um nicho de publico fiel, sempre a espera de novas versões.

Recomendo a todos que joguem essa pérola, ainda mais nessa geração pouco criativa que estamos passando.

Saudações!



2 comentários:

Haha, esse jogo parece ser um ótimo Tactics! Conheci por causa dos Prinnies, do PSP, e fique curioso por Disgaea. Ainda não joguei nenhum da serie, mas confesso que estou ansioso! Férias pra que te quero!ahahaha!
Parabéns pelo review!

De todos eu acho que o primeiro Disgaea é o melhor de todos em questão de história e personagens. Eu tentei jogar Disgaea 2 mas não consegui, não curti muito o layout dos cenarios, parece até que são repetidos. No Disgaea 1 a variação do layout é incrivel, as cores são muito bem trabalhada sem esbravação, não tem como enjoar. Ao meu ver o unico que chega perto é o Disgaea 4 que óbviamente possui uma jogabilidade mais avançada.

Postar um comentário

Solta a voz